468










Informações Locais
Brasil
Europa
América do Sul
America do Norte
Ásia
América Central / Caribe
África
Oceania

Informações Gerais
Trabalho no Exterior
Passagens Aéreas
Dicas de Imigração
Como me Locomover
Onde Dormir
Como me alimentar
Preparar a Mochila
Quanto vou Gastar
Notícias do Turismo
Vistos e Vacinas

Comunidade
Fórum VDM
Mochileiros em Viagem

Ferramentas
Álbum de Fotos
Conversor de Moedas
Conversor de Medidas
Quiz Voudemochila

Institucional
Anuncie no Voudemochila
Quem somos
Política de Privacidade
Fale Conosco
Questões Frequentes
Indique o Voudemochila
News Voudemochila
Estatísticas do Site
Trabalhe Conosco
Mapa do Site
Links Úteis

Parceiros
Vagas de emprego Jooble

Ler notícias Home > Notícias > Ler notícias
Aviões russos caem quase simultaneamente.
fonte : Folha on line
24-Ago-2004


Dois aviões russos caíram quase que simultaneamente nesta terça-feira, ao sul de Moscou, na Rússia, matando todas as 89 pessoas que estavam a bordo. Um dos aviões enviou um sinal de socorro antes de sumir dos radares --o que poderia indicar que ele havia sido seqüestrado--, levantando suspeitas de atentado terrorista.

A principal agência de inteligência russa, no entanto, disse que não encontrou evidências de terrorismo em uma investigação inicial realizada nos locais da queda.

"Foi concluído que, até o momento, a causa mais possível [para a queda do avião] seja uma violação das regras de operação da aeronave", afirmou o porta-voz do Serviço de Segurança Federal, Nikolai Zakharov, para a agência de notícias russa Interfax.

Informações iniciais davam conta de mais de 90 mortos, mas o último balanço, divulgado pela Interfax e pelas agências de notícias internacionais, cita que os aviões transportavam 89 pessoas. Não há informações de sobreviventes.

Aviões

O avião Tu-134 da companhia aérea russa Volga-Aviaexpress, que fazia a rota Moscou-Volgograd, levava 43 pessoas a bordo --entre elas 35 passageiros e oito tripulantes--, informou a Interfax, citando o secretário de imprensa do aeroporto, Igor Tikhomirov. A aeronave caiu na região de Tula, 180 km ao sul de Moscou, informou um funcionário do Ministério russo de Situações de Emergência, citado pela Interfax.

A parte principal da fuselagem do avião foi encontrada a dois quilômetros do povoado de Buchalki. A cauda do aparelho estava a cerca de 700 metros da primeira estrutura, revelou o mesmo funcionário.

Os destroços do outro avião, um Tu-154 da companhia Siberia Airlines que transportava 46 pessoas --entre elas 38 passageiros e 8 tripulantes--, foram encontrados na região de Rostov, sul da Rússia, na manhã desta quarta-feira, informou o Ministério russo das Situações de Emergência, também citado pela Interfax. A aeronave voava de Moscou para Sochi, na costa do mar Negro.

Suspeitas

O aeroporto de Domodedovo disse, em um comunicado, que os dois aviões "passaram pelos procedimentos regulares de preparação para o vôo (...), que foram realizados apropriadamente".

As incertezas sobre a queda do avião surgiram quando foi noticiado que uma das aeronaves ativou o sistema de alerta de seqüestro pouco antes de desaparecer das telas do radar do centro de controle aéreo de Moscou, revelou a Interfax, citando uma fonte ligada às autoridades aéreas.

Autoridades disseram que a tripulação do outro avião não forneceu sinais de que algo errado estava acontecendo, mas testemunhas afirmaram ter ouvido uma série de explosões antes da queda.

Investigações

Nenhum estrangeiro estava a bordo dos aviões, informaram fontes aeronáuticas. O presidente russo, Vladimir Putin, já ordenou que o serviço secreto russo "comece a investigar" o ocorrido, segundo a assessoria de imprensa do governo.

A Interfax informou, citando Natalya Vlasenko, da secretaria de imprensa do escritório regional do Ministério das Situações de Emergência, que cerca de 20 corpos foram encontrados no local onde o Tu-154 caiu. Ainda não há informações sobre a identidade das vítimas.

Os jornais russos destacavam na manhã desta quarta-feira a coincidência dos dois fatos e lembravam os atentados de 11 de setembro de 2001 contra Nova York (EUA).


mais notícias