468










Informações Locais
Brasil
Europa
América do Sul
America do Norte
Ásia
América Central / Caribe
África
Oceania

Informações Gerais
Trabalho no Exterior
Passagens Aéreas
Dicas de Imigração
Como me Locomover
Onde Dormir
Como me alimentar
Preparar a Mochila
Quanto vou Gastar
Notícias do Turismo
Vistos e Vacinas

Comunidade
Fórum VDM
Mochileiros em Viagem

Ferramentas
Álbum de Fotos
Conversor de Moedas
Conversor de Medidas
Quiz Voudemochila

Institucional
Anuncie no Voudemochila
Quem somos
Política de Privacidade
Fale Conosco
Questões Frequentes
Indique o Voudemochila
News Voudemochila
Estatísticas do Site
Trabalhe Conosco
Mapa do Site
Links Úteis

Parceiros
Vagas de emprego Jooble

Ler notícias Home > Notícias > Ler notícias
Festas juninas tomam o interior da Bahia
fonte : A tarde online
18-Jun-2007


O mês de junho na Bahia é inteiramente dedicado aos festejos típicos das festas da roça. Durante todo o mês, o forró e as comidas típicas tomam conta da maioria dos municípios baianos e até na capital o clima é de interior.

Na Bahia, os festejos em homenagem aos santos “juninos” já começam no primeiro dia do mês, com as trezenas em louvor a Santo Antônio, comemorado no dia 13. São João (24) e São Pedro (29) são os outros santos juninos. Junto com o carnaval, o São João é a maior festa popular da Bahia, e movimenta um fluxo interno inigualável. Todo ano, as empresas de ônibus intermunicipais colocam 1.400 horários extras nesta época. As cidades mais procuradas são Cachoeira, Cruz das Almas, Amargosa, Senhor do Bonfim, Juazeiro e Porto Seguro.

As festas juninas também movimentam a economia dos municípios do interior onde são tradicionais. Em alguns deles, a comemoração do São João é tão expressiva, que a cidade se preparar durante todo o ano. Cruz das Almas. Conhecido pela tradição das perigosas guerras de espada, o São João do município, que fica a 142 Km de Salvador, está no rol dos mais animados e procurados pelos turistas.

Este ano a organização da festa espera receber 70 mil visitantes, mais que o dobro dos 56 mil habitantes. A espada é um rojão que é aceso e lançado próximo ao chão e sai em disparada, sem rumo, feito um foguete. Os “espadeiros” divertem-se lançando os rojões uns contra os outros. Em 2005, a fabricação e o uso foram regulamentados por lei.

Quem preferir dançar forró a ver o espetáculo luminoso das espadas, pode ir até a Praça Sumaúma, onde tocam as atrações Mastruz, Zelito Miranda, Saia Rodada, Estakazero, Magníficos, Adelmário Coelho, Brucelose, Del Feliz, Santana, Acarajé com Camarão e Nino Coutinho, além de bandas locais. Outro município onde a festa de São João tem destaque pela quantidade de turistas que atrai é Amargosa. Em 2006, recebeu mais de 90 mil pessoas em cinco dias de festa.

Além de um megaevento realizado pelo governo local, Amargosa sedia, há 11 anos, o Forró do Piu Piu, uma das maiores festas fechadas do São João baiano, que atrai um público de maioria jovem, de Salvador e cidades vizinhas. Neste ano, a festa terá animação de Asa de Águia, Tio Barnabé e Magníficos. O preço não desanima os forrozeiros: R$ 120 por pessoa e R$ 200 no camarote. Mas a festa na praça, que é gratuita, não deixa a desejar. Uma multidão é esperada para ver Banda Calypso, Calcinha Preta, Magníficos, Estakazero e Santana.

Cruz das Almas também tem seu espaço alternativo. O Forró do Bosque reúne Aviões do Forró, Skank, Motumbá, Tio Barnabé, Bruno e Marrone, Flávio José, Rapazolla e Negra Cor, em dois dias. Eventos do tipo são realizadas também em outros locais, a exemplo de Senhor do Bonfim, que tem o Forró do Sfrega, Santo Antônio de Jesus, com o Forró do Visgo e Ibicuí, onde acontece o Forró do Tico Mia. (confira infográfico)

O interior da Bahia tem ainda muita diversidade para oferecer. No São João do Recôncavo, em cidades como Cachoeira e Maragojipe, por exemplo, os ritmos juninos como forró e xote se misturam à tradição local, que inclui o samba de roda, resultando numa festa única. Grupos locais se apresentam junto com outras bandas nos dias mais quentes da festa.

Na Chapada Diamantina, as belezas naturais são aliadas dos festejos juninos nas cidades da região e ajudam a atrair ainda mais turistas. Segundo o diretor administrativo da Bahiatursa, Luiz Otávio Borges, o órgão leva jornalistas internacionais para visitar a região neste mês, exatamente para divulgar o turismo aproveitando o mês festivo.

Realizado há 7 anos, o São João no Pelô se consolidou como a melhor opção para quem não planejou viajar. Diferentemente de edições anteriores, neste ano a programação ainda não foi anunciada e a festa no Pelourinho dever ter apenas dois dias, contra quatro a cinco dos anos passados. Com isso, cidades vizinhas passam a ser opções ainda mais atraentes para quem estiver na capital. Dias D Ávila, Camaçari, Lauro de Freitas e a Ilha de Itaparica, por exemplo, oferecem atrações que prometem um forró animado próximo à capital.

Em Camaçari, o Camaforró mantém os habitantes na cidade e ainda atrai visitantes. Este ano a principal atração é o cantor Leonardo. Em Itaparica, até maculelê, capoeira, puxada de rede e dança afro entram no cardápio de atrações.


mais notícias