468










Informações Locais
Brasil
Europa
América do Sul
America do Norte
Ásia
América Central / Caribe
África
Oceania

Informações Gerais
Trabalho no Exterior
Passagens Aéreas
Dicas de Imigração
Como me Locomover
Onde Dormir
Como me alimentar
Preparar a Mochila
Quanto vou Gastar
Notícias do Turismo
Vistos e Vacinas

Comunidade
Fórum VDM
Mochileiros em Viagem

Ferramentas
Álbum de Fotos
Conversor de Moedas
Conversor de Medidas
Quiz Voudemochila

Institucional
Anuncie no Voudemochila
Quem somos
Política de Privacidade
Fale Conosco
Questões Frequentes
Indique o Voudemochila
News Voudemochila
Estatísticas do Site
Trabalhe Conosco
Mapa do Site
Links Úteis

Parceiros
Vagas de emprego Jooble

Ler notícias Home > Notícias > Ler notícias
Conac anuncia medidas para diminuir vôos em Congonhas
fonte : G1
01-Ago-2007


Conselho quer acabar com escalas e conexões em Congonhas.
Medidas atingem Guarulhos, Viracopos e Jundiaí.
O Conac (Conselho Nacional de Aviação Civil) anunciou medidas nesta segunda-feira (30) para acabar com vôos de escalas e conexões em Congonhas e restringir vôos diretos para, no máximo, 10 destinos. A expectativa do Conac é que as medidas comecem a surtir efeito em 30 dias.

São esses os destinos: Brasília, Belo Horizonte (Confins), Rio de Janeiro (Galeão e Santos Dumont), Vitória, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Foz do Iguaçu, interior de São Paulo e Campo Grande.

Caberá ao Rio e a Belo Horizonte, por exemplo, fazer a ligação de Congonhas com o Nordeste, o Norte, a Europa e Américas do Sul e do Norte. Brasília fará a ligação com o Centro-Oeste e o Norte, e a Curitiba outras cidades do Sul, exceto Porto Alegre e Florianópolis, que continuam tendo vôos direto para Congonhas.

Para chegar a esse objetivo, o Conac decidiu por medidas que visam melhorar e aumentar o fluxo de passageiros e vôos nos aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, e Viracopos, em Campinas, e acelerar a transferências de vôos não comerciais para Jundiaí.

"O aeroporto de Congonhas não será mais de escalas, conexão. Serão vôos diretos, numa faixa máxima de duas horas", disse o ministro da Defesa, Nelson Jobim, que preside o Conac. Com isso, afirmou Jobim, a expectativa é a redução de 151 vôos diários em Congonhas. De acordo com o ministro, 712 vôos operam diariamente no aeroporto.

Medidas
O Conac quer que a Infraero reestude até 20 de outubro deste ano o espaço dos aeroportos de Guarulhos e Viracopos para "acomodar" os passageiros de Congonhas.

Além disso, o conselho quer a avaliação de uma eventual contratação emergencial de salas de embarque pré-fabricadas nos dois aeroportos.

Na resolução aprovada na reunião desta segunda, o Conac pede ainda que a Infraero solicite ao Poder Judiciário a liberação de espaços ocupados por "empresas falidas ou em recuperação judicial" nesses aeroportos.

O Conac determina ainda que a Infraero apresente em 30 dias um estudo de racionalização e otimização do fluxo de passageiros no terminal 1 do aeroporto de Guaraulhos.

Já sobre Jundaí, o Conac solicita que a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) inicie "imediatamente" para a transferência para a cidade de vôos particulares de Congonhas. O conselho quer que essa transferência seja completa até 31 de dezembro de 2007. Segundo Jobim, a expectativa é que Jundiaí comece a receber nos próximos dias vôos particulares de Congonhas.

Jobim disse ainda que não pode afirmar que a situação estará tranquila nos aeroportos até o fim do ano. "Esperança, sim, mas como afirmação não tenho condições de fazer".

Troca de comando e terceira pista
O ministro não quis falar sobre a suposta demissão do presidente da Infraero, brigadeiro José Carlos Pereira. "Isso não está na pauta".

Sobre uma terceira pista em Guarulhos, Jobim disse que essa hipótese ainda está sendo estudada e que há um conflito de informações sobre o impacto dessa construção. A prefeitura da cidade, segundo o ministro, diz que 5,5 mil famílias serão atingidas com essa obra, enquanto a Infraero fala em 20 mil. Jobim garante que haverá recursos para essa pista, quando for autorizada a sua construção.


mais notícias