468










Informações Locais
Brasil
Europa
América do Sul
America do Norte
Ásia
América Central / Caribe
África
Oceania

Informações Gerais
Trabalho no Exterior
Passagens Aéreas
Dicas de Imigração
Como me Locomover
Onde Dormir
Como me alimentar
Preparar a Mochila
Quanto vou Gastar
Notícias do Turismo
Vistos e Vacinas

Comunidade
Fórum VDM
Mochileiros em Viagem

Ferramentas
Álbum de Fotos
Conversor de Moedas
Conversor de Medidas
Quiz Voudemochila

Institucional
Anuncie no Voudemochila
Quem somos
Política de Privacidade
Fale Conosco
Questões Frequentes
Indique o Voudemochila
News Voudemochila
Estatísticas do Site
Trabalhe Conosco
Mapa do Site
Links Úteis

Parceiros
Vagas de emprego Jooble

Ler notícias Home > Notícias > Ler notícias
Empresas aéreas fazem "terrorismo", diz Jobim
fonte : Redação Terra
17-Ago-2007


O ministro da Defesa, Nelson Jobim, disse não acreditar em um possível aumento no valor das passagens em razão da dimunuição de assentos nas aeronaves. "Isso faz parte do terrorismo das empresas, não quer dizer nada", afirmou ontem em Porto Alegre, onde se reuniu com parentes de vítimas do vôo 3054 da TAM.

"Toda vez que você faz mudanças e começa a chamar responsabilidades, vem o terrorismo do aumento de tarifas. Espero que as empresas tenham responsabilidade de perceber que esse é um movimento que interessa ao País. E que nós não arredaremos pé em relação à segurança", disse o ministro ao jornal Zero Hora, a bordo da aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB), durante a viagem de Brasília a Porto Alegre.

O ministro ainda disse que não vê problemas em relação a decisão do presidente da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Milton Zuanazzi, sobre realizar consultas públicas a respeito do número de poltronas nos aviões. "Vamos fazer", afirmou.

Na segunda-feira, Jobim disse que as companhias aéreas alegam que a distância entre as poltronas das aeronaves é menor para baratear o custo das passagens. No entanto, defendeu que esse tipo de cálculo não pode prevalecer. "Se for assim, vamos viajar em pé", afirmou.


mais notícias